Sexualidade e Cirurgia Plástica (Link da Entrevista)

Sexualidade e Cirurgia Plástica (Link da Entrevista)

Entrevista realizada no programa “PRAZER EM CONHECER” com Rose Villela na TV Geração Z

Anúncios

Rinoplastia (Link da Entrevista)

Rinoplastia (Link da Entrevista)

Entrevista realizada no programa ” AS DUAS ” da TV GERAÇÃO Z,

Candidatos impróprios para a cirurgia

Nem todos são candidatos a realizar uma cirurgia plástica, apesar de o paciente possuir indicações físicas que são ideais para o procedimento optado.

 Podemos, porventura, indicar algum tratamento psicológico prévio à cirurgia, se tiver realmente indicação de operar, ou simplesmente, não indicar a cirurgia se não houver indicação científica e precisa em relação à avaliação clínica pré-operatória.

Em outra situação, caso o paciente não entenda sobre as reais expectativas frente ao seu desejo, e os limites da cirurgia em si.

Evitem operar nestas situações da vida:

Pacientes em crise, como aqueles que estão se divorciando, a morte de um ente querido, ou a perda de um trabalho. Estes pacientes podem procurar conseguir os objetivos que não podem ser obtidos com as mudanças na aparência, ou seja, a superação da crise através da cirurgia não é a solução. É de bom tom primeiramente trabalhar a crise, se indicado, com algum outro tipo de profissional, médico ou não.

Pacientes com expectativas “surrealistas”, como aqueles que insistem em ter o nariz de uma celebridade, com a esperança que podem adquirir um estilo de vida semelhante a da celebridade; pacientes que querem ser restaurados a sua “perfeição original”, após um acidente severo ou uma doença séria; ou pacientes que desejam encontrar a juventude de muitas décadas já vividas.

Pacientes inconformados, como os indivíduos que se consultam com um cirurgião após o outro, procurando as respostas querem ouvir. Estes pacientes geralmente esperam uma cura a um problema que não seja primeiramente, ou de modo nenhum, ao que se refere à Cirurgia Plástica.

Pacientes obsessivos com um defeito muito menor, e acreditam que uma vez que seu defeito for corrigido, a sua vida será perfeita. Estes pacientes podem estar sofrendo de DISMORFOFOBIA e deveram ser avaliados por um psiquiatra. Os perfeccionistas podem ser candidatos apropriados para a cirurgia, contanto que seja realístico o bastante para compreender que os resultados cirúrgicos podem não, precisamente, combinar com seus objetivos.

Pacientes que têm uma doença mental, e o comportamento ilusionista ou paranóico, são candidatos pobres para a cirurgia. Em alguns casos a cirurgia pode ser apropriada se os objetivos do paciente para a cirurgia não estão relacionados à sua psicose. Nestes casos, um cirurgião plástico pode trabalhar próximo ao psiquiatra do paciente.

BENEFÍCIOS DA CIRURGIA PLÁSTICA

0010011812M-1920x1280

Cada um de nós tem uma “auto-imagem”, uma percepção de como nos vemos e como somos vistos pelo outro, isto é, a nossa imagem para nós mesmos e o olhar do outro para nós.

Pessoas satisfeitas com sua auto-imagem geralmente são mais confiantes, eficazes no trabalho e em situações sociais, e em seus relacionamentos. Aquelas que são descontentes tendem a ser autodestrutivas, inibidas, e menos eficaz em suas atividades.

A Cirurgia Plástica, seja ela estética ou reconstrutiva, proporciona melhora da “auto-imagem”, tanto no que se refere ao contorno corporal ou facial, e como nos tratamentos de má formações adquiridas ou congênitas.

As mudanças que resultam da cirurgia plástica são permanentes. É importante que se tenha compreensão clara de como a cirurgia lhe dará a sensação da esperada melhora da “auto-imagem” antes que um procedimento esteja programado.